nannete

Das lembranças, aprendizado

por Júlia Falconi, para o História Incomum Está tudo tão vivo como se fosse hoje. Nem parece que foi há 70 anos. Nanette Konig petrifica-se ao lembrar dos tempos vividos em um campo de concentração. Outrora época que arregala os olhos da sobrevivente, como se um fantasma de seu passado viesse ao seu presente, aterrorizá-la. Ela tenta…

Continue Lendo

IMG_5716

A mãe de muitos filhos

Os olhos de Lúcia Helena não seguraram as lágrimas enquanto ela buscava em suas lembranças o que achava pertinente contar sobre a sua história. Ela vive no Jardim Gramacho desde 5 anos de idade, hoje, tem 43 anos. A mulher carrega no coração a dor de ter tido dois irmãos assassinados. A consequência deste momento…

Continue Lendo

dia dos pais

Feliz Dia dos Pais, pra quem?

Hoje, um amigo me mandou uma mensagem: “sério, cara, eu queria ter um pai como todo mundo, mas não tenho. Eu acho que se eu tivesse um pai eu não iria passar o que eu já passei. Deve ser muito legal você ter um pai ao lado, brincando, jogando bola, e muitas outras coisas. Deve…

Continue Lendo

lucia
10

A senhora da mansão de papelão – Parte II

Conheci a Lúcia numa madrugada na Rua da Bahia, em BH. No final da nossa rápida conversa ela disse: “depois passa lá na mansão pra tomarmos um café imaginário”. Naquele momento ela me cativou. Primeiro, por me convidar para tomar um café, mesmo que imaginário (dificilmente eu nego um café).  Segundo, porque algo me dizia…

Continue Lendo

A senhora da mansão de papelão
86

A senhora da mansão de papelão

Na esquina da Rua Espírito Santo com a Avenida Álvares Cabral em Belo Horizonte mora Lúcia Matta Machado. Sua idade ela prefere omitir: “é o charme de toda mulher”, diz. Ela vive no bairro Funcionários, segundo metro quadrado mais rico da cidade. Sua casa se difere de todas as outras, e não é pelo tamanho…

Continue Lendo

tempo_600
4

Vida e morte num instante

É difícil entender alguns enlaces da vida, ela parece se amarrar de maneira que nos deixa atônitos. O tempo passa e, cada dia, é um dia a menos. Exigi-se de nós destreza para que saibamos contar nossos dias, a fim de que não sejamos tolos em nossas escolhas. Sempre levando em conta que nosso mundo…

Continue Lendo

memoria_viva

Memória viva

A tradição oral na Comunidade de Arturos e o empenho para a preservação dos costumes de seus ancestrais O Quilombo Arturos começou com um sonho de Camilo Silvério, angolano traficado para o Brasil, e se perpetuou com seu filho Arthur Camilo Silvério. As terras adquiridas por seu pai em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte…

Continue Lendo

A_voz

A voz que faz enxergar

O uso da tecnologia no processo educacional de deficientes visuais Na década de 90, ouvia histórias sobre os esforços e a garra dos cegos da época que buscavam se formar em alguma faculdade. Naqueles dias, as fitas K7 eram o auge. Com a ajuda de amigos e parentes, os textos e conteúdos dados em sala…

Continue Lendo

viver_600
7

Quando um por cento é o suficiente para viver

A rotina de três meninos com câncer e seu entusiasmo pela vida Subindo a escadaria do Hospital da Baleia, em Belo Horizonte (MG), para chegar a Ala 6 da oncologia infantil, fui reparando os rostos que passavam por mim. Alguns pareciam transmitir a serenidade da exuberante área verde ao redor do hospital, outros estavam anestesiados…

Continue Lendo